Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Brazilian Mining Day: ANM abre bolsa de valores de Toronto

Notícias

Brazilian Mining Day: ANM abre bolsa de valores de Toronto

Governo Federal traz novo panorama da mineração no Brasil.
por publicado: 02/03/2020 15h00 última modificação: 03/03/2020 15h40

Toronto – O segundo dia da 88ª convenção da Prospectors & Developers Association of Canada (PDAC) está sendo marcado pelo Brazilian Mining Day, dia das apresentações do setor mineral brasileiro à comunidade minerária mundial. A Agência Nacional de Mineração, uma das porta-vozes do Governo Federal, começou esta segunda-feira (2) abrindo a TSX (Toronto Stock Exchange), a maior bolsa de valores canadense e a segunda maior do continente americano.

“A TSX  é um importante canal de captação de investimentos para a mineração no Brasil. Tivemos a alegria de levar boas notícias, com a parceria da OCDE, na redução do fardo regulatório, criando um ambiente de negócios mais atraente, que vai melhorar a disposição de investimentos”, disse o diretor da ANM, Tomás de Paula Pessoa.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) recentemente fechou acordo com a ANM para assessorar a Agência na revisão do estoque e redução do fardo regulatório, diagnosticando as normas, avaliando o que precisa ser mantido e ajudar na identificação dos atos normativos que serão revogados ou reescritos.

O secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, Alexandre Vidigal, abriu o ciclo de palestras do dia dedicado ao Brasil. Vidigal lembrou dos últimos desastres das barragens de Mariana e Brumadinho e falou sobre as mudanças significativas nas políticas públicas feitas pelo Governo Federal - por meio da ANM - na mineração, como o descomissionamento e proibição da construção de novas barragens a montante, limite máximo do tempo de outorga e informatização dos protocolos minerários.

“Esse governo conversa com facilidade em toda sua estrutura, em todas as suas linhas de atuação. Como está preenchido predominantemente por pessoas incluídas em trabalharem pelo país, pessoas com origens em diversos setores da vida público-privada predominantemente com compromissos técnicos, esse governo tem a facilidade de interlocução entre os seus mais diversos agentes. Isso dá agilidade, segurança, confiabilidade e a certeza que teremos resultados prósperos e eficientes com essa conduta”, afirmou Vidigal.

O novo panorama do setor mineral brasileiro e as 20 mil áreas que serão colocadas em disponibilidade pela ANM também foram temas abordados pelo secretário. “Com relação ao comércio exterior, conseguimos em 2019 representar só no setor mineral 20.8% das exportações brasileiras, com o superávit de quase US$ 21,9 bilhões no setor mineral. Nossa meta é superar esses números em 2020. Há muitas áreas com tipos minerais em situação de disponibilidade na Agência Nacional de Mineração que foram valorizadas pela inclusão de dados do serviço geológico do Brasil e deverão ser ofertadas ao longo de 2020 por meio de leilão, obedecendo a uma sistemática mais célere, objetiva e transparente.”

Brazilian Mining Day

O dia dedicado às apresentações brasileiras começou sua programação nesta segunda-feira com Edson Ribeiro, presidente do Conselho Superior da ADIMB (Agência para o Desenvolvimento Tecnológico da Indústria Mineral Brasileira) e Tito Martins, CEO da Nexa Resources.

Os representantes do Governo Federal do Brasil apresentaram ainda cenários estratégicos para o desenvolvimento do setor mineral brasileiro, bem como o programa de parcerias para investimentos e um novo ambiente de financiamento para a mineração brasileira.

A tarde está reservada ainda para diversos painéis, entre eles o da ANM,  que tratará sobre o progresso alcançado na regulação do setor mineral brasileiro nos últimos anos e sobre a sustentabilidade e as boas práticas de projetos nesse setor.

Brazilian Mining.png

Sobre o PDAC

O PDAC é a voz principal da comunidade de exploração mineral e mineração. Com mais de oito mil membros em todo o mundo, a missão da PDAC é promover um setor mineral sustentável e globalmente responsável que incentive práticas líderes em desempenho técnico, operacional, ambiental, de segurança e social. Mais de 25 mil pessoas de 130 países participaram na edição de 2019.  Anualmente, são apresentadas e discutidas as tendências, perspectivas e desafios do setor mineral em escala global.

O comitê organizador do Brasil no PDAC 2020 é coordenado, além da ANM, pela ADIMB, Ministério de Minas e Energia, Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Associação Brasileira de Mineração (IBRAM), Associação Brasileira de Empresas de Exploração Mineral (ABPM) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).